MATERIAL BÉLICO

PAMB-RJ celebra Dia do Material Bélico da Aeronáutica com cerimônia militar

Foram destacados os feitos dos veteranos brasileiros na campanha aérea da Segunda Guerra Mundial
Publicado: 12/11/2018 14:50
Imprimir
Fonte: PAMB-RJ
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente João Elias - Revisão: Capitão Landenberger

O Parque de Material Bélico do Rio de Janeiro (PAMB-RJ) realizou, na quinta-feira (08), uma cerimônia militar alusiva ao Dia do Material Bélico da Aeronáutica, celebrado no domingo (11). A solenidade foi presidida pelo Diretor de Material Aeronáutico e Bélico, Major-Brigadeiro do Ar Antonio Ricardo Pinheiro Vieira.

Os militares prestaram homenagens à memória dos veteranos da campanha aérea na Itália durante a Segunda Guerra Mundial e ao Tenente-Coronel Especialista em Armamento Jorge da Silva Prado, que foi chefe da Seção de Armamento e Material Bélico do 1° Grupo de Aviação de Caça (1°GAVCA).

Durante a cerimônia foi entregue o prêmio "O Sabre da Força", que visa homenagear militares e civis que, ao longo de suas carreiras, prestaram relevantes serviços ao Sistema de Material Bélico da Aeronáutica (SISMAB). O agraciado foi o Suboficial Paulo Cesar Ciuffo de Miranda. Ele é o quarto militar a ser homenageado com esse prêmio, sendo o primeiro graduado.

Os ex-integrantes do PAMB-RJ também foram homenageados e desfilaram em um grupamento especial, que recebeu os agradecimentos das autoridades presentes e os aplausos do público.

"O Material Bélico trabalha diuturnamente para cumprir a diretriz do Comandante-Geral de Apoio: aeronave decolando armada", destacou o Diretor do PAMB-RJ, Coronel Ricardo Tanaka.

O Comandante-Geral de Apoio da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Paulo João Cury, ressaltou, na Ordem do Dia, o empenho dos profissionais do SISMAB ao acompanhar o desenvolvimento tecnológico do setor para manter a operacionalidade da Força Aérea.

“Os artefatos, hoje empregados, não são mais apenas explosivos, são sistemas complexos que envolvem, também, eletrônica avançada, lançadores complexos, armamentos inteligentes, propelentes variados que exigem conhecimento muito além da pólvora e TNT. Assim são os militares que labutam diuturnamente para que as Unidades Aéreas e Terrestres apresentem a prontidão esperada pela FAB e para manter-se nas melhores condições cultivando uma gestão eficiente, sólida e engajada, também, em cumprir os objetivos estabelecidos pela Estratégia Nacional de Defesa”.

Fotos: Sargento R. Andrade.