AVIAÇÃO AGRÍCOLA

SERIPA V promove curso de prevenção de acidentes aeronáuticos

Pilotos e profissionais da aviação agrícola de diversos estados participam da atividade
Publicado: 06/08/2018 16:20
Imprimir
Fonte: Ala 3, por Tenente Fabiana Cintra
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente João Elias - Revisão: Cap Oliveira

O Quinto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA V), localizado em Canoas (RS) e com atuação em toda a região sul, em conjunto com o Centro Nacional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, realiza, até o dia 10 de agosto, a oitava edição do Curso de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos – Aeroagrícola (CPAA-AG). O objetivo é transmitir os conhecimentos básicos necessários ao desenvolvimento das atividades de prevenção de acidentes aeronáuticos nas empresas e organizações da aviação agrícola, além de promover o conceito de que a prevenção de acidentes depende da gestão profissional e do gerenciamento do risco.

"A nossa preocupação é em prevenir, essa é a essência da segurança de voo. Não queremos que os acidentes aconteçam e não queremos perder vidas. É muito triste perdermos vidas por motivos que poderiam ser evitados, como falta de planejamento, de engajamento e de responsabilidade. Esse curso busca provocar o engajamento, a responsabilidade e multiplicar o conhecimento para que os senhores e senhoras possam voar cada vez mais, melhor e com mais segurança”, destacou o Comandante da Ala 3, Brigadeiro do Ar Arnaldo Silva Lima Filho, durante a cerimônia de abertura, realizada na segunda-feira (30).

Participam do curso pilotos e profissionais da aviação agrícola do Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Pará. São duas semanas de aulas integrais com corpo docente da Força Aérea Brasileira (FAB) da área operacional, investigativa, médica, psicológica e jurídica, além de parceiros como a Agência Nacional da Aviação Civil (ANAC), Embraer, Faculdade de Ciências Aeronáuticas da Pontifícia Universidade Católica (PUC), BR Aviation e escolas e centros de treinamento de aviação agrícola.

No programa, são abordados assuntos como aspectos médicos e psicológicos, gerenciamento do risco, manutenção de aeronaves, vistoria de segurança de voo, planejamento operacional, combustíveis e lubrificantes, sobrecarga autoprovocada, manuseio de agrotóxicos, entre outros.

De acordo com o Secretário Executivo do Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (SINDAG), Junior Oliveira, no Brasil são 2.115 aeronaves agrícolas em atividade, trabalhando em 72 milhões de hectares com diversas culturas. "A cana de açúcar, por exemplo, necessita da aviação agrícola para o seu cultivo, movimenta até 62 bilhões de reais em atividade econômica no país e gera um milhão de empregos. Portanto, nós do SINDAG, enxergamos a qualificação e cursos como este de extrema importância e fazemos questão de sermos parceiros e parabenizarmos o SERIPA V e o CENIPA pela iniciativa”, concluiu. 

Fotos: Soldado Rotta