REESTRUTURAÇÃO

Tecnologia da Informação investe na atualização de sistemas corporativos

Objetivo é buscar soluções que possam dar flexibilidade às ferramentas e agilizar processos da FAB
Publicado: 19/06/2018 12:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Aline Fuzisaki
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Jonathan Jayme - Revisão: Cap Oliveira

Um dos objetivos da Reestruturação é melhorar o cotidiano do efetivoQuando o processo de Reestruturação da Força Aérea Brasileira (FAB) foi impulsionado, em 2015, a primeira missão da Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI) consistia em viabilizar a concentração administrativa em apoio aos Grupamentos de Apoio (GAP). De lá pra cá, também atualizaram-se tecnologicamente diversos serviços corporativos, que apoiam as atividades do Comando da Aeronáutica (COMAER), representados pelos Órgãos de Direção-Geral, Setorial e de Assistência Direta e Imediata ao Comandante da Aeronáutica (ODGSA).

Ainda no contexto da Reestruturação, no segundo semestre de 2017, o Conselho de Tecnologia da Informação (CONTI), coordenado pelo Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER) e sob orientação direta do Comandante da Aeronáutica, atualizou os processos de governança e gestão de tecnologia da informação, buscando aumentar o alinhamento aos modelos de governança e administração pública do Governo Federal, considerando as especificidades do COMAER.

“As mudanças estruturais e de legislações visam a adequar o gerenciamento de TI da FAB às diretrizes do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, para que haja uma facilidade de entendimento ao lidar com órgãos externos, pois a nossa dinâmica é distinta das demais instituições”, afirma o Diretor de Tecnologia da Informação da FAB, Brigadeiro do Ar Paulo Eduardo Vasconcellos.

A partir da Reestruturação, a DTI também deu início a algumas ações que buscam melhorar o dia a dia de todo o efetivo. “Estamos criando um setor voltado para análise dos processos de negócios visando a auxiliar os ODGSA na melhoria de seus processos corporativos”, comenta o oficial-general.

O objetivo das ações é permitir aos Centros de Computação focar na engenharia de requisitos e no desenvolvimento de soluções em proveito dos diversos setores, incrementando os sistemas corporativos, de maneira que seja possível reorganizar funções, racionalizar a força de trabalho e a atividade burocrática, otimizando os processos. Tudo alinhado com a determinação do Comandante de priorizar a atividade-fim.

“A primeira fase foi de apoio de infraestrutura e sistema e, a partir daí, incrementar, melhorar. Essa é a principal ação em desenvolvimento. São pequenas mudanças que, muitas vezes, não aparecem, mas que são essenciais para o futuro”, explica o Diretor de TI.

Brigadeiro Vasconcellos: Unidades de TI trabalham de forma contínuaDentre as principais ferramentas e sistemas corporativos que estão sendo revistos e atualizados estão o SIGPES, o SIGADAER, o SILOMS e o próprio correio eletrônico corporativo, conhecido como FABMAIL. As implementações têm sido feitas sob a coordenação dos Centros de Computação da Aeronáutica (CCA). “O que estamos fazendo é uma atualização tecnológica para que os sistemas sejam mantidos em operação nos próximos quatro a cinco anos. É uma atividade que enfrenta demandas de correção e não é trivial, mas necessária”, pontua o Brigadeiro Vasconcellos.

Para viabilizar os processos, o Diretor de TI afirma que todas as demandas são discutidas e avaliadas pelo CONTI antes de serem colocadas em prática. “Existe uma exigência do Comandante da Aeronáutica para que haja transparência dos investimentos da área de TI. Por isso, tudo tem que passar pelo Conselho para aprovação, seguindo as prioridades dentro do limite de recursos que podem ser alocados. Sempre conforme a orientação do Estado-Maior da Aeronáutica, ODG responsável pela prestação de contas junto ao Tribunal de Contas da União”, finaliza.

Conheça alguns resultados já alcançados pela Reestruturação da TI:

- consolidação do Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) para todo o COMAER;
- reorganização do CONTI, do Comitê Executivo de TI (COMEX-TI) e do Grupo de Assessoramento de TI (GATI);
- alinhamento do planejamento e das ações de TI com os objetivos estratégicos do COMAER;
- consolidação dos processos de TI com foco na melhoria contínua dos serviços prestados e dos produtos oferecidos, agregando valor à missão da FAB e permitindo uma otimização nos processos de priorização e alocação de recursos no nível estratégico do COMAER;
- adoção de um modelo de Gestão do Conhecimento voltado para a Administração Pública, bem como da utilização de boas práticas para a Governança e Gestão de TI;
- atualização tecnológica dos sistemas corporativos em produção e incremento de novas funcionalidades em diversas áreas do COMAER;
- transferência da sede da DTI do Rio de Janeiro para São Paulo;
- incremento da capacidade de produção dos CCA, nas suas áreas de responsabilidade; e
- melhoria da coordenação da DTI com os ODGSA.

Fotos: Sargento Bruno Batista / CECOMSAER

Confira esta e outras reportagens no Notaer de junho