HOMENAGEM

Confira como foi a Cerimônia Militar Alusiva ao Dia da Aviação de Caça nas Unidades

A data homenageia o Primeiro Grupo de Aviação de Caça
Publicado: 23/04/2018 15:00
Imprimir
Fonte: Ala 7, Ala 5, Ala 8, Ala 2
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente João Elias

Esquadrões de Caça de diversas localidades no país realizaram homenagens em cerimônias militares em alusão ao Dia da Aviação de Caça, nessa sexta-feira (20). A data homenageia o Primeiro Grupo de Aviação de Caça, que realizou missões de combate durante a Segunda Guerra Mundial. Foi no dia 22 de abril de 1945 que um grupo de apenas 22 pilotos realizou 44 voos, lançando bombas em pontos estratégicos e metralhando alvos inimigos.

“Para entender a história da Força Aérea é preciso entender a história desses heróis que participaram da Segunda Guerra, bem como dos que compunham o Correio Aéreo Nacional, a fim de entendermos que a Força Aérea Brasileira foi forjada com o espírito desses homens que servem de exemplo para nós”, ressaltou o Comandante da Ala 5, Brigadeiro do Ar Augusto Cesar Abreu dos Santos, durante a cerimônia na organização.

Confira abaixo como foi a cerimônia nas várias localidades:

Boa Vista (RR)

Mais de 300 militares da Guarnição de Aeronáutica de Boa Vista (RR) participaram da solenidade presidida pelo Comandante da Ala 7, Coronel Aviador Eric Breviglieri. Durante a cerimônia, foi entregue o troféu de piloto mais eficiente do ano de 2017 do Esquadrão Escorpião (1°/3° GAV) ao Tenente Renato Valim Klink. “Fico orgulhoso do resultado, pois acredito que temos que brigar para ser primeiro colocado em tudo aquilo que nos propomos a fazer na nossa vida”, relata o Tenente.

A Ala 7 entregou, também, troféus de premiação aos três primeiros colocados gerais da corrida “Voando Baixo”, que ocorreu na quarta-feira (18/04) como parte das atividades comemorativas da data. “Além de enaltecer a razão do trabalho de cada militar dentro da FAB, considero a atividade bastante importante para resgatar o espírito de determinação, superação e garra que impulsionou aqueles jovens pilotos e estimulou a prática regular de atividade física como melhoria na qualidade de vida”, ressaltou o terceiro colocado geral na prova, Sargento Robson Martins Liberato, do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Boa Vista (DTCEA-BV).

Manaus (AM)

A cerimônia, em Manaus (AM), foi realizada no hangar do Esquadrão Arara (1°/9° GAV) e reuniu militares das Organizações administrativas e operacionais da FAB sediadas na cidade. O único Esquadrão de Caça em Manaus é o Pacau (1°/4° GAV), conhecido como “A Sorbonne da Caça”. O Esquadrão é responsável por Defesa Aérea, Patrulha Aérea de Combate e Escolta e Varredura. Com mais de 70 anos de história, foi transferido para a Região Norte em 2010, seguindo a Estratégia Nacional de Defesa. Anteriormente já esteve sediado em Natal (RN) e Fortaleza (CE).

“A importância de se ter um Esquadrão de Caça de alta performance na Amazônia se dá pela necessidade de proteger o território e afirmar o domínio do ar nessa região de importância essencial para a soberania do espaço aéreo”, explicou o Comandante do 1°/4° GAV, Tenente-Coronel Aviador Cassio de Souza Neto Gonçalves.

Campo Grande (MS)

Em Campo Grande (MS), a Cerimônia Militar foi realizada na Alameda Santos Dumont da Ala 5. A Unidade sedia um dos mais novos Esquadrões da Aviação de Caça, o Flecha (3°/3° GAV), que utiliza a aeronave A-29 Super Tucano para o cumprimento de sua missão.

Durante a cerimônia, o Comandante da Ala 5, Brigadeiro do Ar Augusto Cesar Abreu dos Santos, parabenizou os militares pelo dia.

Anápolis (GO)

A cerimônia na Ala 2, localizada em Anápolis (GO), foi presidida pelo Comandante Interino da Unidade, Coronel Aviador Antonio Marcos Godoy Soares Mioni Rodrigues. Na ocasião, Distintivos de Condição Especial (DCE) da Aviação de Caça foram entregues aos graduados com mais de 5 e mais de 20 anos em Unidade de Caça.

A Ala 2 foi uma organização exclusiva de caça por 28 anos, abrigando o Primeiro Grupo de Defesa Aérea (1° GDA). O Esquadrão Jaguar operou por 33 anos o Mirage III (F-103), primeira aeronave supersônica da Força Aérea, e, por mais sete anos, o Mirage 2000 (F-2000). Atualmente, a unidade de caça da Ala 2 opera os F-5EM, enquanto aguarda a chegada do F-39 Gripen, novo vetor de caça da FAB que está sendo produzido na Suécia.

"Comemorar o Dia da Aviação da Caça na Ala 2 é ressaltar a importância da Aviação de Combate nessa Organização que se transformará no maior Complexo Operacional da FAB", concluiu o Coronel Mioni.