INSPEÇÃO

Ministério da Saúde vai atuar no Centro de Navegação Aérea da FAB

Em um ano, a FAB transportou 275 órgãos para transplante
Publicado: 16/06/2017 09:00h
Imprimir
Fonte: CGNA, por Ten Eduardo Silva
Edição: Agência Força Aérea, por Aspirante Cristiane dos Santos

O Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA) da Força Aérea Brasileira (FAB) recebeu a visita do Ministério da Saúde e de demais órgãos signatários do Termo de Acordo de Cooperação Técnica que visa ao apoio aéreo no transporte de órgãos e tecidos. Durante a inspeção, os visitantes puderam conhecer a estrutura organizacional do CGNA e os trabalhos de rotina dos profissionais da saúde.

A visita ocorreu, no dia 6 de junho, e contou com representantes do Ministério da Saúde, da Secretaria de Aviação Civil (SAC), da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (INFRAERO), da Associação Nacional das Empresas Administradoras de Aeroportos (ANEAA) e da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR). A comitiva foi recepcionada pelo Chefe da Divisão de Operações do CGNA, Tenente-Coronel Aviador Sidnei Nascimento de Souza.

A proposta é que até o início do segundo semestre os membros do Ministério da Saúde estejam operando no CGNA. Segundo a Coordenadora Geral do Sistema Nacional de Transplantes do Ministério da Saúde, Rosana Reis, este é um trabalho importante porque envolve demandas emergentes. “Por um longo período, tivemos representantes do Sistema Nacional de Transplantes no CGNA. Diante do atual cenário e das demandas emergentes, concluímos que a reativação do serviço é imprescindível e o Ministério da Saúde ratifica o acordo”, ressaltou.

O Tenente-Coronel Sidnei também destacou a importância do trabalho conjunto. “Nós, do CGNA, temos imensa satisfação em receber comitivas que, num contexto de colaboração, objetiva o fortalecimento dos sistemas. A presença do Ministério da Saúde no Salão Operacional servirá como um importante canal, para que possamos garantir a celeridade na busca dos voos”, afirmou.

Transporte – O embarque e desembarque nos aeroportos, a emissão de bilhetes de passagens para as equipes médicas e a seleção dos voos são os principais itens do acordo.  A coordenação logística do translado de órgãos e tecidos está a cargo do Comando da Aeronáutica (COMAER). Cabe ressaltar que as aeronaves, quando no transporte de órgãos e tecidos, têm prioridade para pousos e decolagens. O tempo de preservação dos materiais orgânicos é um fator contribuinte para o sucesso dos transplantes. Em um ano, a FAB transportou 275 órgãos para transplante.