PROFESP

Base Aérea de Florianópolis amplia programa para atender 200 crianças em 2017

A novidade é a participação do Avaí Futebol Clube que montará escolinhas de futebol para os alunos inscritos
Publicado: 23/04/2017 08:00
Imprimir
Fonte: BAFL
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Flávio Nishimori

Crian�as assistem ao desfile de abertura do PROFESPDuas grandes novidades marcam as atividades do Programa Forças no Esporte (PROFESP) neste ano de 2017, na Base Aérea de Florianópolis (BAFL). A primeira é a ampliação do programa, que este ano deve atender 200 crianças. A outra é a parceria estabelecida com o Avaí Futebol Clube que montará escolinhas de futebol para os alunos inscritos.

A abertura do programa ocorreu no dia 13 de abril. Após a solenidade, foram realizadas duas partidas oficiais de Futebol das categorias Sub12 e Sub13 no campo de futebol da BAFL, onde as delegações do Avaí e Chapecoense jogaram a 2ª rodada da 1ª fase do campeonato BG Prime.

“Investir nas nossas crianças é a única forma de aspirarmos a um futuro melhor para o país. A Guarnição de Aeronáutica de Florianópolis sente orgulho em poder contribuir na formação dessas crianças”, afirmou o Comandante da Base Aérea de Florianópolis, Coronel Aviador Antonio Ferreira de Lima Júnior.

Delega��o da Chapecoense Sub12 e Sub13 na BAFLBraço do Programa Segundo Tempo, do Governo Federal, o Programa Forças no Esporte (PROFESP), criado em 2003, vem com o objetivo de democratizar o acesso ao esporte, como forma de promover o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes.

Coordenado pelo Ministério da Defesa, o Programa é desenvolvido em parceria com os ministérios do Esporte, Educação e Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Seu objetivo é promover a integração social e o desenvolvimento por meio da prática esportiva. Os esforços empreendidos concentram-se na inclusão social, valorização da cidadania, inserção no trabalho e na realização de atividades físicas, esportivas e de lazer.

E os resultados do programa começam a aparecer. O recruta Gilsomar Sambugaru é um dos exemplos. Em 2011, ele era um dos alunos do Programa Forças no Esporte desenvolvido na BAFL e atualmente pertence às fileiras da Força Aérea. “O projeto mudou muito a minha vida. Muitos diziam que eu não iria conseguir, mas agradeço à minha família e aos que me apoiaram para chegar até aqui”, afirma o militar. “No projeto me ensinaram a ter mais respeito, disciplina, me ensinaram tudo”, complementa o recruta Sambugaru.

Uma das crian�as recebendo �culosACISO - No evento de abertura do PROFESP também foram entregues pares de óculos a duas estudantes da escola Tenente Almachio que participaram de uma Ação Social (ACISO) desenvolvida em parceria com o SESC, em novembro de 2016, no bairro Tapera.

A ACISO teve como um dos focos o serviço de oftalmologia em que, dentre todos os atendimentos, foram identificadas 10 crianças que desconheciam o problema de visão e que foram direcionadas para a Base Aérea de Florianópolis, para posterior atendimento especializado e acompanhamento pelos profissionais.

Dentre essas crianças, duas precisariam usar óculos o quanto antes. A BAFL foi em busca, então, de parceiros que pudessem ajudar nessa ação, visto que as famílias são de baixa renda e não teriam condições financeiras de adquirir os objetos.

O professor Steven Dubner, que trabalha há mais de 33 anos em esporte para as pessoas portadoras de deficiência no Brasil e nos Estados Unidos e é um dos fundadores da ADD (Associação Desportiva para Deficientes), sensibilizou-se com a causa e fez a doação dos óculos para as alunas. 

Conheça um pouco mais sobre a história do recruta Sambugaru: