DENGUE

FAB inicia mutirão de combate ao mosquito Aedes Aegypti em todo o País

Unidades, vilas e áreas sob a responsabilidade da Aeronáutica serão vistoriadas
Publicado: 15/11/2016 08:00
Imprimir
Fonte: PASC/EMAER/Agência Força Aérea
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Jussara Peccini

A Prefeitura de Aeronáutica de Santa Cruz (PASC), zona oeste do Rio de Janeiro, realizou na quarta-feira (09/11) um mutirão de combate ao mosquito Aedes Aegypti nas vilas residenciais militares da região.

A ação mobilizou todo o efetivo da unidade e foi realizada em parceria com agentes do Serviço Especial de Saúde de Portos e Aeroportos e Rodoviárias (SESPAR) e da Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro.

Antes de inspecionarem todas as residências, incluindo quintais e áreas comuns, em busca de possíveis focos de larvas do mosquito, os militares receberam um treinamento ministrado pelos agentes da Prefeitura Municipal de Saúde do Rio de Janeiro.

“Iniciativas como esta têm uma importância muito grande porque, além dos benefícios gerados aos moradores locais, são excelentes oportunidades para formar agentes multiplicadores que poderão aplicar os conhecimentos em suas próprias residências, diminuindo a existência de focos em diversos bairros da cidade onde moram”, afirmou uma das educadoras em saúde.

Também foram distribuídos panfletos educativos com informações úteis e de fácil entendimento para se evitar a proliferação dos mosquitos e eliminar possíveis criadouros das suas larvas.

A região foi afetada por um número elevado de casos da doença no último ano.

Mutirão nacional – O Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER) solicitou a todas as organizações da FAB, em cumprimento à determinação do ministério da Defesa, que iniciassem mutirões de combate ao mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika a partir do dia 08 de novembro. Serão vistoriadas as unidades militares, vilas residenciais e áreas sob responsabilidade da FAB, como clubes, escolas, museus e órgãos sob administração militar.

O objetivo é, em função do período de chuvas e da possível proliferação do vetor, retomar o aprofundamento do nível de conscientização dos militares e civis quanto à gravidade do problema e à responsabilidade do cidadão na questão do combate ao mosquito.