SAÚDE

Em RO, FAB usa simulado de acidente aeronáutico para capacitar socorristas

Base Aérea de Porto Velho promoveu Curso de Atendimento de Emergência em Acidente Aeronáutico
Publicado: 06/10/2016 13:50
Imprimir
Fonte: BAPV
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Cynthia Fernandes

A Base Aérea de Porto Velho (BAPV) promoveu o Curso Teórico-Prático de Atendimento de Emergência em Acidente Aeronáutico. O encerramento aconteceu na última sexta-feira (30/09), com um exercício simulado de uma queda de aeronave com sobreviventes.

Cerca de 80 profissionais de saúde participaram do curso, entre eles militares da unidade militar, socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), bombeiros militares da Seção de Contra Incêndio da Infraero, policiais militares, alunos e professores do curso de medicina das Faculdades Integrada Aparício Carvalho (FIMCA), Universidade Federal de Rondônia (UNIR) e Faculdade São Lucas.

O curso teve o objetivo de aferir a eficácia dos procedimentos estabelecidos no Plano de Emergência Aeronáutica em Aeródromo (PEAA) e atualizar os conhecimentos e técnicas de atendimento de trauma e resgate de vítimas aeronáuticas. Durante o exercício simulado, voluntários, entre eles 13 estudantes e dois professores de medicina, representaram junto aos médicos e militares da base situações de lesões traumáticas mais frequentes no trauma e seus respectivos tratamentos.

“A oportunidade de participar junto a Força Aérea Brasileira de um treinamento desses foi inesquecível. Observar de perto a ação e conduta dos diversos profissionais envolvidos no caso de um acionamento real foi algo realmente gratificante”, afirma Igor Rodrigues Gama, acadêmico de medicina.

Para o Tenente Médico Vinícius Tadeu Ramos, treinamentos como este são essenciais para avaliar e aprimorar o entrosamento da equipe e de todos os setores envolvidos no PEAA. “Criamos um cenário muito próximo ao de um desastre aéreo real e conseguimos conduzir o atendimento de emergência da situação, realizando a retirada das vítimas da zona quente, a triagem das prioridades, tratamento dos resgatados e transporte rápido para o hospital adequado,” explica.

O curso teórico foi coordenado pela Seção Aeromédica do Esquadrão de Saúde da BAPV, responsável por fazer uma abordagem simplificada e padronizada no atendimento a pacientes traumatizados, ajudando a reduzir a mortalidade e incapacidade das vítimas.