ELEIÇÕES 2016

FAB transporta urnas eletrônicas em RR, AC e AP

Serão usados quatro helicópteros H-60 Black Hawk e H-36 Caracal. Outros três aviões estarão de sobreaviso para transporte de tropas de GLO
Publicado: 26/09/2016 15:50
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Jussara Peccini

Índios da etnias Kulina e Kampa vivem na comunidade Nova Califórnia (AC)A partir desta segunda-feira (26/09) a Força Aérea Brasileira (FAB) inicia o transporte das urnas eletrônicas, das equipes de segurança e mesários dos tribunais regionais eleitorais para o primeiro turno das eleições municipais em três Estados da região Norte do País. Os quatro helicópteros empregados no Acre, Amapá e Roraima devem voar cerca de 190 horas para distribuição e recolhimento das equipes. Em sua maioria, as seções eleitorais estão localizadas em seringais, comunidades indígenas e ribeirinhas.

O cronograma de distribuição vai até o dia 30 de setembro. A etapa de recolhimento se estende de 03 até 07 de outubro.

No Amapá, o helicóptero H-36 Caracal, operado pelo Esquadrão Falcão (1º/8º GAV), vai atender seis localidades dos municípios de Oiapoque e Amapá. O Esquadrão Harpia (7º/8º GAV) vai empregar três helicópteros H-60 Black Hawk. Em Roraima, um deles vai atender a 24 localidades dos municípios de Boa Vista, Bonfim, Cantá, Normandia, Pacaraima e Uiramutã. No Acre, duas aeronaves farão as rotas a partir de Rio Branco e Cruzeiro do Sul para atender a 42 localidades dos municípios de Assis Brasil, Cruzeiro do Sul, Feijó, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira, Tarauacá, Rio Branco, Manoel Urbano e Porto Walter.

De acordo com o Diretor-Geral do Tribunal Regional Eleitoral do Acre, Carlos Vinícius Ferreira Ribeiro, o apoio da FAB atende 42 das 101 localidades de difícil acesso no Estado. A situação é a mesma em relação ao apoio prestado durante o primeiro e segundo turnos nas eleições de 2014, quando dois helicópteros auxiliaram na distribuição das urnas. O apoio logístico às eleições no Estado é prestado pela Força Aérea Brasileira desde 2004 ininterruptamente.

Localidades de difícil acesso são seringais, comunidades ribeirinhas e indígenas“Estamos muito longe de algumas localidades e precisaríamos de muito tempo para chegar nesses locais”, explica o diretor. “Terminamos a carga das urnas ontem [domingo -25/09] e hoje já tem que sair, o helicóptero já está transportando as urnas. Se não tivéssemos esse apoio, as urnas teriam que ter saído há pelo menos 15 dias. Nesse período ainda estávamos efetuando registros”, detalha Ribeiro.

Para o Chefe de Operações do Esquadrão Harpia (7º/8º GAV), Major Leonardo Ell Pereira, a missão é peculiar. “É uma missão ímpar, porque há uma intensidade de voo bastante grande. Em torno de dez dias de operação, serão aproximadamente 150 horas com três aeronaves. Vamos empregar técnicas de pouso em áreas restritas, exigindo bastante das tripulações, que vão voar do nascer ao pôr do sol”, avalia. A missão também permite que a FAB faça sua contribuição com o processo democrático do País.

Outros três aviões de transporte (C-105 Amazonas e C-130 Hércules) ficarão de sobreaviso nas cidades de Campo Grande, Manaus e Rio de Janeiro para transporte de tropas que possam ser empregadas em missão da Garantia da Lei e da Ordem (GLO).