AJUDA HUMANITÁRIA

Em três meses, FAB transportou 60 órgãos para transplante

Centro-sul concentra 70% das missões de transporte de órgãos realizadas
Publicado: 13/09/2016 20:55
Imprimir
Fonte: BACG/Agência Força Aérea por Ten Jussara Peccini

A região centro-sul do Brasil concentrou cerca de 70% das missões de transporte de órgãos para transplante realizadas pela Força Aérea Brasileira (FAB) nos últimos três meses. Nesse período, a bordo de aviões militares, 60 órgãos foram transportados.

Nesta terça-feira (13/09) foi concretizada a 51ª missão. A aeronave C-97 Brasília, operada pelo Esquadrão Pioneiro (III ETA), sediado no Rio de Janeiro, pousou na Base Aérea de Campo Grande às 11h50, horário local (12h50 pelo horário de Brasília), com a equipe médica a bordo para captar um fígado.

“Nossa equipe já acompanhou algumas dessas missões e o apoio da FAB é sempre fundamental, visto que existe uma escassez de doadores em certas regiões. Como o Brasil é um país de dimensões continentais, a logística provida pela FAB facilita e acelera o transporte para as localidades onde se espera a chegada do órgão”, avaliou o cirurgião da equipe Ronaldo de Oliveira.

A cirurgia de retirada do órgão foi realizada na Santa Casa de Campo Grande. A doadora de 47 anos morreu de hemorragia provocada por um AVC. Os rins foram transportados em voo comercial para São Paulo. O fígado para o Rio de Janeiro.

De acordo com a Central Nacional de Transplantes (CNT), a receptora do fígado é uma jovem de 19 anos. O caso recebeu priorização máxima da Central Estadual de Transplantes do Rio de Janeiro por ser considerado grave. A paciente está com insuficiência hepática fulminante internada no Hospital São Francisco de Assis onde será realizada a cirurgia de transplante. Além da gravidade da situação, a seleção do paciente a ser transplantado considera o resultado dos testes de compatibilidade de órgão.

“O paciente que receberá o fígado transportado nessa missão está há quatro dias aguardando. Estávamos torcendo para que logo surgisse um doador. Assim que se soube da existência de um doador em Mato Grosso do Sul, a FAB prontamente atendeu às nossas necessidades e, agora, há de correr tudo bem”, afirmou o médico.

Essa foi a 51ª missão realizada pela FAB desde junho. Neste período foram transportados 60 órgãos para transplante, sendo dois rins, três pulmões, cinco pâncreas, 26 corações e 24 fígados.

“Essa missão representa um ganho enorme para a Força, mas, acima de tudo, para todos os cidadãos brasileiros, visto que são eles os reais beneficiados com sua execução. Para nós, é um orgulho muito grande poder realizar nosso trabalho e ainda salvar vidas, que é o resultado final dessa missão”, afirmou o Major Flávio Cardoso Abadie, comandante da aeronave.