RIO 2016

Pela primeira vez na história, Brasil terá atletas de badminton na Olimpíada

Ygor Coelho e Lohaynny Vicente são sargentos da FAB e vão competir nas categorias simples masculino e feminino
Publicado: 02/08/2016 09:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Gabrielli Dala Vechia

Ygor Coelho e Lohaynny Vicente trocaram as quadras da Comunidade da Chacrinha, em Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro (RJ), pela arena olímpica. Eles, que se conheceram aos sete anos nas aulas de badminton do projeto social Miratus, do pai de Ygor, chegam aos 20 disputando juntos a Olimpíada. Essa é a primeira vez que o Brasil é representado nessa modalidade nos Jogos Olímpicos.

O Sargento Ygor Coelho é carioca e joga desde os três anos de idade, influenciado pelo pai, responsável por um projeto social na periferia, o Miratus. Por meio do badminton, a iniciativa objetiva intervir socialmente na vida dos jovens. "Comecei a andar ao mesmo tempo em que aprendi a equilibrar a raquete", brinca o atleta. Atualmente, o projeto possui um espaço com quatro quadras e atende em torno de 300 crianças e jovens.

O atleta está na Força Aérea Brasileira desde o início de 2016 e conta que foi influenciado por outros colegas da equipe, que também são atletas de alto rendimento da Aeronáutica. "Acho que a vida militar e a vida de atleta têm tudo a ver, em ambos os casos precisamos de muita disciplina para alcançar nossos objetivos", explica Ygor.

Para chegar aos Jogos Olímpicos, o Sargento teve quatro bons bons resultados: venceu o Challenger, no Peru; o Brasil Open, em São Paulo; levou o bronze no International Series, em Santo Domingo; e chegou às quartas de final do Gran Prix do México. "O sonho de todo atleta é chegar à Olimpíada, ainda mais em casa. Estar na Força Aérea e vestir essa farda também é um sonho desde criancinha. Torçam por mim, eu vou fazer o meu melhor, com certeza", diz o Sargento Ygor Coelho.

A Sargento Lohaynny Vicente, também natural do Rio de Janeiro (RJ), começou a praticar badminton pela facilidade de acesso às instalações do projeto Miratus. Era só atravessar a rua de casa. Ela, que começou aos sete anos, percebeu, aos 12, que o esporte poderia ser mais que uma brincadeira de criança: venceu um campeonato nacional e foi chamada para integrar a seleção brasileira.

Na família, além dela, a irmã Luana também é atleta profissional. Juntas, ficaram conhecidas como "irmãs Vicente", após serem medalhistas em Toronto, em 2015. "Minha mãe adora que a gente jogue. Quando ficamos um pouco em casa ela já questiona: Vocês não vão treinar"?, conta a Sargento.

O treinamento da Seleção Brasileira de Badminton acontece em Campinas, no interior de São Paulo. Até o início da Olimpíada, a preparação segue. Para a atleta, embora o braço seja importante para o esporte, o treinamento de pernas e corrida é primordial, já que a modalidade exige muitos deslocamentos e com muita rapidez. "Eu queria dizer à população brasileira que torçam muito e que venham acompanhar o badminton, pois vou fazer o meu melhor para conseguir o nosso resultado", afirma.

Veja os depoimentos dos Sargentos Lohaynny Vicente e Ygor Coelho: