NOTAER

FAB implanta procedimentos modernos em seus hospitais

Tecnologia e padronização de procedimentos fazem parte das mudanças
Publicado: 31/07/2016 08:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Iris Vasconcellos

Segurança do paciente e mais agilidade no diagnóstico de doenças. Esses são alguns resultados de ações inovadoras implantadas nos hospitais da Força Aérea recentemente.

Em Canoas (RS), o Hospital de Aeronáutica (HACO) inaugurou o Centro de Atenção Primária à Saúde, que é a principal porta de entrada do usuário ao sistema de saúde da Aeronáutica. O Centro conta com uma equipe de oito médicos responsáveis pelo primeiro atendimento ao paciente e oferece cerca de 250 consultas por semana.

O Aspirante Médico Christian Kinopp explica que o objetivo do programa é oferecer rapidez e uma visão integrada do mesmo paciente sob a ótica de cada especialista. Outro diferencial é a facilidade da reconsulta e o caráter preventivo. “Programamos o retorno do paciente. Se um paciente tem suspeita de tuberculose, por exemplo, pela agenda comum pode demorar até um mês para conseguir nova consulta. Nesse tempo, ele pode contaminar outras pessoas, além de sofrer com os sintomas da doença. Esse é um caso em que a reconsulta facilita”, ressalta o médico.

Em São Paulo, o foco da inovação é a segurança do paciente. O Núcleo de Hospital de Força Aérea de São Paulo (NuHFASP) analisou um estudo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) sobre o aumento no índice de eventos adversos em hospitais de todo o mundo e resolveu implementar um Núcleo de Segurança do Paciente.

Eventos adversos são complicações indesejadas decorrentes do cuidado prestado aos usuários ou pacientes, ou seja, incidentes médicos. Em 2013, houve um aumento de 12,2% desses casos no Brasil.

As ações desenvolvidas pelo Núcleo incluem a forma padronizada de identificação do paciente, que previne a troca de conduta terapêutica entre os pacientes; e a implantação do “Time out”, pausa cirúrgica para checagem de informações críticas para a segurança do paciente, antes do início do procedimento cirúrgico.

“O diferencial de ação é a análise do erro para a prevenção de incidentes futuros”, destaca o presidente do Núcleo, Capitão Médico Fernando Mallet Soares Paragô.

Rede de hospitais - Câmeras, equipamentos de som e computador são os instrumentos utilizados pelos médicos para a realização de uma teleconsulta. Esse procedimento é executado pelo Hospital de Aeronáutica do Galeão (HFAG) com hospitais de todo o Brasil.

É a Rede Universitária de Telemedicina (RUTE), que esti mula a integração e a colaboração entre profissionais de saúde. São promovidas sessões por videoconferência para debates, discussões de caso, aulas, pesquisas e avaliações à distância.

Segundo o Tenente Médico Heder Leite, a rede também atenderá aos Hospitais de Campanha (HCAMP). “Haverá condições de levar conhecimento às áreas mais longínquas, como as fronteiras e regiões onde exista carência de profissionais de saúde que poderão se beneficiar com uma segunda opinião em seus atendimentos", explica.

Acesse todas as matérias da edição de julho do Notaer: