RIO 2016

Ministro dos Transportes lança manual de planejamento do setor aéreo para a Olimpíada

As medidas garantem fluidez e segurança aos passageiros durante o evento
Publicado: 29/06/2016 16:40
Imprimir
Fonte: ASCOM DECEA, por Denise Fontes
Edição: Agência Força Aérea, por Ten João Elias

 | Luiz Eduardo Perez / DECEAO ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, acompanhado do Diretor-Geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Vuyk de Aquino, apresentou o Manual de Planejamento do Setor para os Jogos Rio 2016 e o guia online para passageiros brasileiros e estrangeiros. As informações foram transmitidas em entrevista coletiva realizada na manhã desta quarta-feira (29/06), no auditório do DECEA, no Rio de Janeiro (RJ).

Também estavam presentes o Presidente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Antônio Claret de Oliveira; o Diretor-Presidente Substituto da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Ricardo Bezerra; o Diretor do Departamento de Gestão Aeroportuária da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Paulo Henrique Possas, e demais autoridades militares e civis.

Mídia contendo o manual da SAC | Luiz Eduardo Perez / DECEAManual de Planejamento O manual padroniza a operação dos 40 aeroportos, entre prioritários, de apoio e bases aéreas, que atenderão à principal demanda de passageiros do evento, reunindo informações sobre o uso de terminais de passageiros, ocupação de pátios e pistas, medidas de segurança e acessibilidade. Segundo o ministro Maurício Quintella, o objetivo é estabelecer uma ação coordenada e integrada entre operadores aeroportuários e órgãos públicos do setor de aviação civil, criando uma rede estratégica e imediata de resposta para fatos e imprevistos do setor. “O manual foi produzido graças à integração de várias entidades do setor, agências reguladoras, órgãos do governo federal e entidades representativas, que constituem a Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias [Conaero]", avalia o ministro.

O manual trabalha com a demanda estimada de 1 milhão de turistas, atletas e membros de delegações que devem movimentar cerca de 4,7 milhões de volumes de bagagem nos aeroportos do Rio de Janeiro.

Hotsite - No ar a partir de hoje, o hotsite www.transportes.gov.br/aeroportos2016, disponível em três idiomas (português, inglês e espanhol), orienta o passageiro a planejar e a organizar todas as etapas da viagem aérea. O guia ajuda o turista na preparação do voo, além de apresentar orientações para a chegada ao aeroporto, embarque, desembarque, saída do terminal e informações sobre o voo. Há também uma seção específica para visitantes de outras nacionalidades, com recomendações sobre passaporte, vistos e prazos de permanência, e uma área de orientações sobre todos os direitos do passageiro e como ele deve proceder diante de algum contratempo.

 | Luiz Eduardo Perez / DECEAAções de controle e defesa aérea – Durante a entrevista coletiva, o Tenente-Brigadeiro Aquino esclareceu que as medidas de restrição aérea estabelecidas pelo Comando da Aeronáutica (COMAER) seguem critérios de segurança internacionais e manutenção dos níveis dos serviços de tráfego aéreo, com mínimo impacto para a aviação comercial. “Estamos preparados, treinados e as medidas serão adotadas para manutenção de um fluxo de tráfego aéreo rápido, seguro e ordenado durante o evento”, afirmou o Diretor-Geral do DECEA. O Tenente-Brigadeiro Aquino falou também sobre o site desenvolvido pelo DECEA, “Espaço Aéreo Olímpico”, que tem o objetivo de divulgar a atuação do controle de tráfego aéreo e defesa aérea durante os Jogos Rio 2016. O endereço do site é www.decea.gov.br/rio2016.

Após a coletiva, o ministro Maurício Quintella conheceu a estrutura operacional do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), unidade do Comando da Aeronáutica responsável pelo gerenciamento de todos os voos dentro da área de controle do espaço aéreo brasileiro. Visitou, ainda, a Sala Master de Comando e Controle, que reunirá em sistema de plantão 24 horas, do dia 20 de julho a 24 de setembro, órgãos governamentais e entidades do setor aéreo para coordenar as demandas de tráfego aéreo durante o período do evento.