INTERNACIONAL

Esquadrilha da Fumaça se despede do Chile com demonstração para 50 mil pessoas

O Esquadrão brasileiro segue agora para a Argentina
Publicado: 04/04/2016 12:01
Imprimir
Fonte: CECOMSAER, por Ten Emille Cândido

  O maior evento aéreo da América Latina e do hemisfério sul chegou ao fim nesse domingo (03/04) em Santiago, no Chile. Em sete dias de exposições, negócios e shows aéreos, a FIDAE 2016 reuniu 60 países e 570 expositores, movimentando milhões de dólares e recebendo mais de 140 mil visitantes, 100 mil deles apenas no fim de semana.

Foi nesse cenário que a Esquadrilha da Fumaça realizou sua primeira demonstração aérea internacional com o A-29 Super Tucano, aeronave implantada em 2015 no grupo, depois de dois anos de treinamento intenso de adaptação ao novo avião. A temporada no Chile contou com voo sobre Santiago em parceria com os Halcones e duas demonstrações exclusivas para o evento, realizadas durante o fim de semana.

Com público diversificado, a FIDAE atraiu empresários, investidores, fãs da aviação, imprensa e visitantes de diversos países. Entre eles, a brasileira Isabela Meireles de Castro, administradora fã da Esquadrilha da Fumaça que viajou para o Chile exclusivamente para assistir às demonstrações. “Vi a Esquadrilha da Fumaça pela primeira vez ano passado em uma apresentação em minha cidade, São José dos Campos, e me apaixonei. Desde então minha meta é conhecer o Brasil seguindo a Fumaça”, planeja. Segundo ela, as demonstrações do fim de semana foram especiais. “Amei cada segundo. Fiquei com medo de que não fosse decolar pelo mal tempo que fez aqui, mas valeu a pena todo o esforço. Já assisti a cinco demonstrações do ano passado para cá e quero continuar assistindo. O que me encanta é a superação de limites, a harmonia, a capacidade de perfeição que um piloto é capaz”, explica Isabela, que já nota até pequenas diferenças nas sequências de manobras.

  Lara Dagorret, de 10 anos, também tem nas manobras perigosas sua parte favorita. “Tudo é muito legal, não dá para escolher um momento favorito da apresentação, mas quando as aeronaves parecem que vão bater é muito emocionante”, fala. O pai, Guilherme Dagorret, concorda. “Eles são muito bons. O nível de conhecimento e capacidade que precisam ter para fazer o que fazem é altíssimo. É tudo muito sincronizado para poder funcionar”, completa.

Satisfação também para quem faz as manobras. “O retorno do público chileno foi fantástico. O carinho que recebemos, o reconhecimento é muito gratificante. Muito obrigado pela acolhida. Espero voltarmos em breve”, torce o Major Aviador José de Almeida Pimentel Neto, um dos pilotos da esquadrilha.

  Argentina

A temporada no Chile terminou, mas o circuito internacional ainda tem mais uma parada na programação. A Esquadrilha da Fumaça segue agora para Córdoba, na Argentina, onde realiza demonstração na Escola de Aviação Militar da Argentina na próxima terça-feira (05).

A cidade de Córdoba é considerada o berço da Aviação Militar da Argentina – por ser a sede da escola que forma os pilotos militares do país, o equivalente à Academia da Força Aérea (AFA) no Brasil – e um importante pólo industrial e aeronáutico.