SAÚDE

Obesidade é crescente no Brasil, mas pode ser superada

Conheça o caso da paciente que eliminou 53kg sem remédios ou cirurgia
Publicado: 05/03/2016 08:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

  Pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde em 2015 revela que o índice de brasileiros acima do peso segue em crescimento. Mais da metade da população está nessa categoria - 52,5% - e desses, 17,9% são obesos.

O tema merece a atenção de todos nós, que devemos manter o físico saudável para o cumprimento das missões.

A paciente Cláudia Cattani, 34 anos, esposa de militar, iniciou o tratamento com a endocrinologista no Hospital de Aeronáutica de Canoas (HACO) para reduzir seu peso, que na época era de 129 quilos. Após tentativas com os métodos convencionais de emagrecimento, a paciente, por preencher os pré-requisitos protocolares, foi indicada a realizar a cirurgia bariátrica, também conhecida como cirurgia de redução de estômago.

No HACO, o Grupo de Apoio à Bariátrica proporciona atendimento multidisciplinar. É um grupo de convivência dos pacientes indicados e que já realizaram o procedimento. Assim, oferece ambiente de encorajamento e orientação.

Grupo de Apoio - Foi no grupo que Cláudia esclareceu suas dúvidas e retomou a confiança para emagrecer sem auxílio cirúrgico ou medicamentoso, mas através de reeducação alimentar e exercícios físicos. “É necessário levar em consideração, também, o perfil disciplinar, a adesão à dieta e o controle de doenças associadas à obesidade, como diabetes e hipertensão, por exemplo. Isso facilitou muito o emagrecimento dela”, explica a endocrinologista, Capitão Médica Ticiana Barin Moreira.

  Para Cláudia, o apoio profissional foi fundamental. “Eu já tinha feito diversas dietas e voltado a engordar. O acompanhamento foi imprescindível, sabia que tinha pessoas cuidando de mim e me sentia na obrigação de mostrar um resultado para elas que estavam acreditando em mim. O acompanhamento profissional me deu a segurança de emagrecer de forma saudável. A Tenente Nutricionista Daiane Drescher fez a minha reeducação alimentar, um cardápio que eu conseguisse cumprir e já tinha o tratamento endocrinológico, mas a parte psicológica foi a que me deu mais força. O tratamento com a Tenente Psicóloga Paula Kegler ajudou a controlar a minha compulsão alimentar e fortalecer a minha confiança de que era possível alcançar esse sonho”, relata Cláudia.

  Equipe Multidisciplinar - A equipe proporciona acompanhamento médico, nutricional e psicológico, associado a atividades de interesse.

Médico - conscientização, informações de medicamentos, investigação e controle de doenças associadas.

Nutricionista - reeducação alimentar, prevenção do “reengorde” e de distúrbios alimentares.

Psicóloga - retomada da auto estima e auto confiança, superação de situações de constrangimento, investigação de causas da compulsão alimentar, controle da ansiedade, entre outros.

Palestras de temas de interesse - educação física, fonoaudiologia (reabilitação em casos de dificuldade motriz, dicas de mastigação), ortopedia, fisioterapia, gastroenterologia, entre outras.

Veja essa e outras reportagens no NOTAER deste mês