GESTÃO

Novo modelo concentra serviços administrativos para todo o País

Os quatro Grupamentos de Apoio ativados neste mês serão referência para outros 20 núcleos
Publicado: 26/01/2016 13:00
Imprimir
Fonte: AFA/GAP-AF/Agência Força Aérea

  A Força Aérea Brasileira (FAB) implantou efetivamente este mês um novo modelo de gestão com a criação de quatro Grupamentos de Apoio (GAP), localizados em Pirassununga (SP), Rio de Janeiro (RJ),  Brasília (DF) e Anápolis (GO). As novas unidades concentram as atividades administrativas comuns de diversas organizações militares, tornando-se responsáveis por subsistência, fardamento, recursos humanos, obtenção e licitações, protocolo e arquivo, transporte, infraestrutura, entre outras.

De acordo com o coordenador do grupo de trabalho de concentração de atividades administrativas, Brigadeiro Mauro Martins Machado, os resultados já começaram a aparecer. "Com a criação dessas organizações, nós já começamos a perceber economia de meios e, também, a necessidade de aperfeiçoarmos os sistemas da FAB, como o SIGPES e o SILOMS, para se tornarem mais ágeis e ocorrer uma economia ainda maior, tanto de recursos humanos como materiais", avalia.

A partir de março deste ano, a iniciativa será expandida para todo o Brasil. Em janeiro, foram criados outros 20 núcleos de grupamentos de apoio em todas as regiões País, que passarão a funcionar como Grupamentos de Apoio a partir do início de 2017. O objetivo é reduzir de 54 para 33 as unidades responsáveis pela execução do orçamento.

O Grupamento de Apoio de Pirassununga (GAP-YS) serve de modelo para as outras organizações de ensino da Aeronáutica, quando forem criados seus próprios grupamentos de apoio. O GAP-YS é responsável por atividades das seguintes unidades: Academia da Força Aérea (AFA), Esquadrilha da Fumaça (EDA), Prefeitura de Aeronáutica (PAYS), Fazenda de Aeronáutica (FAYS) e o Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Pirassununga (DTCEA-YS).

“Esta nova forma de gestão permitirá que as Organizações Militares do Comando da Aeronáutica aqui concentrem seus esforços na atividade fim, o que resultará numa maior eficiência em cada uma de suas áreas de atuação com a correspondente economia de meios”, explica o Comandante da AFA, Brigadeiro do Ar Saulo Valadares do Amaral.

No Rio de Janeiro (RJ), o Grupamento de Apoio dos Afonsos (GAP-AF) apoia 19 organizações sediadas no Campo dos Afonsos e em Santa Cruz. Entre elas estão a Comissão de Desportos da Aeronáutica (CDA), a Quinta Força Aérea (V FAE) e a Prefeitura de Aeronáutica de Santa Cruz (PASC). A organização está sediada nas instalações da Universidade da Força Aérea (UNIFA) e serve de modelo para diversos órgãos do Comando da Aeronáutica (COMAER).

Os Grupamentos de Apoio do Distrito federal (GAP-DF) e de Anápolis (GAP AN) também foram inaugurados no dia primeiro deste mês. O GAP-DF aglutina os serviços de 17 unidades e serve de modelo para os Comandos Aéreos Regionais (COMAR) e o GAP-AN abrange suporte para cinco unidades e é pioneiro para atender unidades isoladas.