NOTAER

Engenheira Aeronáutica: de aluna a instrutora

Conheça a história da engenheira que estudou no ITA e hoje é instrutora na instituição
Publicado: 28/10/2015 08:00
Imprimir
Fonte: Agência força aérea

 

 

  "Eu sabia que a engenharia era a carreira que eu deveria seguir e a Aeronáutica veio sanar mais uma curiosidade minha”. A declaração é da instrutora do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Tenente Thaís Campos de Almeida, formada na mesma instituição em 2014.

Ela começou o curso em 2010 já imaginando o desafio que teria pela frente. “Eu sabia que fazer Engenharia Aeronáutica no ITA não seria fácil, já que é considerado um dos melhores cursos do País. Em um dos meus primeiros dias no H8 (alojamento dos alunos do ITA), uma veterana do 5° ano me disse que era um curso muito bonito, mas muito exigente”, conta.

Quando começou a estudar as disciplinas específicas de Engenharia Aeronáutica após dois anos de ensino básico, Thaís pôde entender do que a veterana falava: “tive contato com aerodinâmica, propulsão, materiais, estruturas, e mais uma infinidade de conceitos que regem a aeronave. Ao longo dos anos, pude amadurecer meus conhecimentos e pesquisar mais a fundo as áreas que me interessavam”.

Curiosidade científica -  A Tenente Thaís conta que a decisão por ser engenheira surgiu ainda na infância e a facilidade com as matérias de Ciências Exatas foram determinantes. “Desde cedo sempre fui muito curiosa, é claro que eu tinha bonecas, mas meus brinquedos favoritos eram os que me faziam pensar, montar prédios e máquinas ou fazer misturas e criar substâncias mal-cheirosas e coloridas. Além disso, eu tinha muita facilidade com química, física e matemática”.

Atualmente, a militar trabalha com a criação de um novo conceito de asa e está concluindo o mestrado.

Atuação -  O profissional formado em Engenharia Aeronáutica pode atuar em diversas indústrias do setor Aeroespacial e de Defesa, principalmente as fábricas de aviões e helicópteros. Outras oportunidades estão nos institutos de pesquisa aeroespacial, empresas de transporte aéreo, empresas de manutenção de aeronaves, fabricantes de peças aeronáuticas, empresas de consultoria, além da Força Aérea Brasileira (FAB).

Outras áreas -  Na FAB, as atividades de engenharia são utilizadas em diversos segmentos e, para isso, abrangem especialidades como Civil, Agrimensura, Cartografia, Computação, Elétrica, Eletrônica, Infraestrutura, Mecânica e Telecomunicações, entre outras.

Além das engenharias diretamente ligadas à aviação, os profissionais dessa área destacam-se nos exercícios de campanha, em que são responsáveis por organizar e preparar o terreno, fornecer e instalar água e energia elétrica, saneamento básico e manutenção de equipamentos.

Acesse a edição completa do Notaer de outubro, leia esta e outras matérias e conheça as novidades da versão digital: