SAÚDE

Hospital de Força Aérea do Galeão faz cirurgia cardiovascular com material bioabsorvível

Procedimento utiliza novo tipo tubo expansível que facilita tratamentos futuros
Publicado: 01/08/2015 06:00
Imprimir
Fonte: HFAG

Stent bioabsorvível  HFAGMédicos do Hospital de Força Aérea do Galeão (HFAG), no Rio de Janeiro (RJ), realizaram pela primeira vez uma cirurgia cardiovascular com o material chamado de stent bioabsorvível (tubo expansível), aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso no Brasil há sete meses. O procedimento inédito foi realizado no dia 8 de julho e o paciente, um militar da reserva de 63 anos, já recebeu alta e passa bem.

De acordo com um dos médicos da equipe responsável pela cirurgia, Capitão Estevão Carvalho de Campos Martins, o novo material não dificulta futuros tratamentos na mesma artéria, fato considerado importante para um cenário de aumento da longevidade.

“No contexto da FAB, encontramos militares jovens que, com certa frequência, apresentam esta patologia e que necessitam de um tratamento que possibilite a completa recuperação de sua anatomia coronariana, assim como a preservação de sua fisiologia vascular, para que possam retornar ao pleno desempenho de suas atividades", afirma.

O novo tipo de stent é formado de um polímero que é completamente absorvido pelo organismo após dois anos, diferentemente dos stents convencionais (compostos de metal) e dos farmacológicos (metal + polímero + fármaco), em que a estrutura metálica permanece implantada na parede arterial. "Os stents de malha metálica reduzem a motricidade dos vasos e dificultam novos procedimentos”, explica o médico.

O objetivo dos médicos do HFAG é utilizar o novo material em pacientes selecionados, realizar um acompanhamento contínuo e publicar resultados para contribuir com a pesquisa científica na área. “Com o aumento da expectativa de vida, este cenário tende a ficar cada vez mais evidente, o que estimula a busca de novas tecnologias para o tratamento de tal patologia”, diz o Capitão Estevão.

A segurança e a eficácia do stent bioabsorvível já foi testada e comprovada em mais de 10.000 pacientes envolvidos em diversos estudos clínicos com os mais diferentes perfis de lesão e características clínicas.