HISTÓRIA

Museu de Aeronáutica é reaberto no Recife

Museu de Aeronáutica do Segundo Comando Aéreo Regional foi reaberto para visita
Publicado: 13/07/2015 09:10h
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

Caça TF-33  Soldado Alves SilvaA 300 metros da famosa praia de Boa Viagem, Recife tem uma atração turística ideal para quem gosta de aviação e de história. O museu do Segundo Comando Aéreo Regional passou por reforma e foi reaberto ao público no último dia 3 de julho. Os visitantes agora poderão ver de perto novas atrações, como os caças históricos AT-26 e TF-33, além de uma diorama que mostra como era a Base Aérea do Recife na época da Segunda Guerra Mundial.

Com entrada gratuita, o museu está localizado na avenida Armindo Moura, 500, no bairro Boa Viagem. A visitação está aberta de segunda a quinta das 8h às 12h e das 13h30 às 17h. As sextas, o horário é das 8h às 12h. Visitas guiadas podem ser agendadas.

Acervo do museu  Sargento Bruno Batista / Agência Força AéreaAlém das aeronaves reais, o museu encanta quem gosta de plastimodelismo, as maquetes de aeronaves. Somente no diorama histórico da Base Aérea do Recife há 16 delas, entre o PV-1 Ventura, o P-40 e o B-18 Bolo, aviões que voavam sobre Recife em 1945. Também há veículos militares e figuras na escala 1:72. Outro diorama recorda um campo de pouso da Força Aérea Brasileira na Itália durante a Segunda Guerra Mundial. Estão lá, em detalhes, as barracas e os aviões P-47.

O acervo inclui a Bandeira do Brasil levada por Marcos Pontes ao espaço. Estão lá ainda móveis originais, que mostram o ambiente de trabalho do Marechal Eduardo Gomes no Recife em 1942, época em que ele autorizou o ataque contra qualquer submarino que ameaçasse navios brasileiros. São relíquias que contam capítulos relevantes da história da Aeronáutica e do Brasil.

Míssil Piranha  Sargento Bruno Batista / Agência Força AéreaO próprio museu fica em um prédio histórico, construído em 1943, durante a Segunda Guerra Mundial, para servir como quartel-general das forças norte-americanas, responsáveis pelo Atlântico Sul, com uma área de atuação que ia de Belém, no Pará, até Caravelas, na Bahia. Desde 1995 o espaço é dedicado a preservar a memória da aviação civil e militar no Brasil.

Há sete exposições permanentes: História da Aviação, Marechal do Ar Eduardo Gomes, Segunda Guerra Mundial, Primeiro do Sexto Grupo de Aviação, Uniformes da Força Aérea Brasileira, Material Bélico e Instrumentos Aeronáuticos. Os visitantes podem conhecer, por exemplo, câmeras utilizadas pelos aviões de reconhecimento, bússolas, manches, bombas, mísseis já lançados no Brasil, espoletas, condecorações, distintivos, equipamentos e instrumentos de voo, macacões utilizados por pilotos e até um painel completo de um avião de combate AT-26 Xavante.

Há ainda uma sala específica para mostrar equipamentos já operados no Terceiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA III), também sediado no Recife.

Como chegar:

imagens/original/25524/131205bat9978(c)bruno_batista.jpg
imagens/original/25524/131205bat9950(c)bruno_batista.jpg
imagens/original/25524/131205bat9969(c)bruno_batista.jpg
imagens/original/25524/131205bat9974(c)bruno_batista.jpg
imagens/original/25524/131205bat9975(c)bruno_batista.jpg
imagens/original/25524/131205bat9982(c)bruno_batista.jpg
imagens/original/25524/museu 1 (4).jpg
imagens/original/25524/museu 1 (9).jpg
imagens/original/25524/museu 7.jpg
imagens/original/25524/mapa.jpg