SEGURANÇA DE VOO

SERIPA I alerta autoridades sobre riscos de colisão no MA

Em São Luís, somente nos seis primeiros meses de 2015, foram registrados 10 incidentes desse tipo
Publicado: 13/06/2015 08:24
Imprimir
Fonte: SERIPA I

TCel Marcus Antonio durante palestra do SERIPA I   Sd Ramos/ CLAO Primeiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA I) realizou, na quinta-feira (11/6), uma palestra em São Luís (MA) com o objetivo de mostrar a importância do trabalho integrado com a sociedade, de modo, a evitar incidentes envolvendo colisões de aeronaves com fauna. O evento ocorreu no auditório do Ministério Público Federal, com a participação de representantes de órgãos federais, estaduais e municipais ligados aos poderes Executivo e Judiciário, além de empresas aéreas, aeroclubes e grupos de ultraleves.

Para abordar o tema "Gerenciamento do Risco de Fauna: responsabilidades no controle da fauna e a proteção da sociedade", o Capitão Fábio Luís Ridão Valentim, Chefe da Seção de Prevenção do SERIPA I, apresentou informações sobre os riscos inerentes às atividades que atraem aves, como lixões e matadouros, que estão presentes na cidade de São Luís e região metropolitana.

“No Brasil, ocorreram mais de 1600 colisões com fauna somente no ano de 2014. Em São Luís, somente nos seis primeiros meses de 2015, registramos 10 incidentes desse tipo”, destacou o Capitão Valentim.

De acordo com o Chefe do SERIPA I, Tenente Coronel Marcus Antonio Carvalho de Lima, essa atividade é importante para a conscientização da comunidade.

“A interação entre o operador do aeródromo, responsável pelo monitoramento da fauna dentro da área de segurança aeroportuária, e o poder público municipal, responsável pelo controle e uso do solo, é de suma importância para reduzir os riscos de acidentes provocados pela colisão de aeronaves com pássaros”, finalizou.

Conforme estatísticas do Centro Nacional de Prevenção e Investigação de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), as colisões com fauna são o tipo de incidente mais repetitivo na aviação, sendo grande parte delas registrada quando a aeronave está voando próximo ao solo, na aproximação para pouso ou após a decolagem.

Apesar de acidentes aeronáuticos com fatalidade causados por colisões com fauna serem eventos relativamente raros, estima-se que mais de 450 pessoas no mundo todo tenham sido vítimas de acidentes desse tipo.