ORDEM DO DIA

DIA DO CORREIO AÉREO NACIONAL E DIA DA AVIAÇÃO DE TRANSPORTE

A data comemorativa é celebrada no dia 12 de junho
Publicado: 12/06/2015 09:45
Imprimir
Fonte: GABAER

DIA DO CORREIO AÉREO NACIONAL E DIA DA AVIAÇÃO DE TRANSPORTE
ORDEM DO DIA DO COMANDANTE DA AERONÁUTICA
Brasília, 12 de junho de 2015. 

Neste momento, enquanto meu olhar percorre estas palavras destinadas a vangloriar os feitos dos precursores do Correio Aéreo Nacional e da Aviação de Transporte, repousa sobre meu pensamento a convicção de que uma aeronave de transporte da Força Aérea Brasileira corta os ares no cumprimento de sua missão.

Tal afirmativa me remete a um importante registro histórico, quando intrépidos Tenentes alçaram voo do Campo de Aviação dos Afonsos, na tarde de 12 de junho de 1931, e deram início à importante jornada que culminou com o estreitamento de distâncias nesta Nação-Continente, contribuindo sobremaneira para o desenvolvimento de nosso País.

Naquela ocasião, os jovens oficiais Casimiro Montenegro e Nélson Freire Lavenère Wanderley registraram seus nomes na história da aviação militar brasileira. Indelével apontamento que serviu de pedra fundamental de uma estrutura que veio a se consolidar como um dos mais importantes projetos de integração nacional de nosso passado recente – o Correio Aéreo Nacional.

O importante serviço, fruto de visão de futuro, teve como rota inicial a ligação aérea do Rio de Janeiro à São Paulo e recebeu grande impulso após o término da Segunda Grande Guerra. Naquela ocasião, entraram em cena os imponentes C-45 e C-47, que possuíam autonomia superior e permitiram a extensão das rotas para as distantes regiões fronteiriças e, também, para o exterior.

A herança de tão nobre atividade e as demandas a ela relacionadas consolidaram as bases da Aviação de Transporte na Força Aérea Brasileira, que acumulou um destacável legado de conquistas ao longo de sua história, dignas de serem reverenciadas nesta data.

O heroísmo e a abnegação do passado abriram caminhos para o desenvolvimento técnico e o aprimoramento de conhecimentos que, atualmente, são a base doutrinária da Organização que agrega e coordena as atividades de preparo e emprego da aviação de transporte, a Quinta Força Aérea.

Distinta Organização cujas estruturas estão cravadas no centenário Campo dos Afonsos, gerencia com eficácia o cumprimento da tarefa de sustentação ao combate por meio de suas Unidades Subordinadas.

Um esforço diuturno que, somente no ano de 2014, resultou em mais de 13.700 (treze mil e setecentas horas) de voo, com o lançamento de mais de 15.500 (quinze mil e quinhentos)
paraquedistas e 250 cargas - por meio da extração rasante, CDS, ou fardos - em diversas operações por todo o território nacional.

Dentre essas manobras, destacamos a organização e coordenação da TRANSPORTEX 2014. Operação militar que se mostrou como singular oportunidade de treinamento de novas táticas e a reedição da doutrina atual. Planejada e realizada em um contexto consonante com o que existe de mais atual nos cenários de emprego moderno, com a participação coordenada das aviações de Caça, Reconhecimento, Asas Rotativas e a Artilharia Antiaérea.

Os exercícios com a participação das diversas aviações e a simulação de ambiente hostil, com a presença de ameaças no ar e no solo, permitiram a evolução doutrinária das equipagens e a plena utilização dos recursos tecnológicos dos meios aéreos. Este incremento de conhecimentos culminou com a elevação da capacidade operacional em autodefesa e no emprego de táticas e técnicas de evasiva.

A inovação de procedimentos não se restringe ao espectro operacional. Ao seguir os preceitos emanados pelo Alto-Comando, a Quinta Força Aérea busca a constante atualização na gestão de processos, a fim de priorizar a eficiência na utilização de recursos, sem contudo comprometer os padrões aceitáveis de qualidade.

Toda esta atualização conceitual não ofuscou a aurora do Correio Aéreo Nacional, com o constante apoio nos mais distantes rincões do País. O transporte de carga e pessoal e a incondicional ajuda humanitária, demonstram, até os dias atuais, o imensurável cunho social que o Comando da Aeronáutica representa à nossa Nação.

Mas não podemos nos vangloriar deste imponente legado se não colocarmos em pauta que cada pré-voo realizado nas madrugadas frias ou cada carregamento ou serviço de manutenção realizado sob o sol escaldante não seriam concretizados, não fosse a abnegação dos homens e mulheres que envergam as três espadas em seu peito e conduzem mais longe as cores tão vivas de nossa bandeira.

Os rústicos C-47 foram substituídos pelo glass-cockpit, mas o espírito arraigado dos precursores do Correio Aéreo Nacional e da Aviação de Transporte se mantém acesso no efetivo que integra as fileiras da Quinta Força Aérea.

Desta feita, conclamo a cada um destes valorosos membros para que perpetuem o profissionalismo de nossos predecessores em seus atos, com o estreito cumprimento dos princípios doutrinários, a fim de que este voo repleto de glórias continue sua navegação rumo a um pouso seguro.

Estejam certos de que novos desafios despontam no horizonte e que os primeiros lampejos da aeronave KC-390 nos
trazem a certeza de que, em um breve cenário, nossa capacidade operacional será elevada a patamares há muito desejados.

Nesta conjuntura de ávida expectativa pelo futuro promissor, novamente enalteço as conquistas daqueles que nos precederam e reafirmo as congratulações a cada um dos tripulantes e integrantes dos quadros de apoio que, com seu anônimo esforço, contribuem para o sucesso de nossa sagrada missão.

Lançar, Suprir, Resgatar!

Parabéns integrantes da Aviação de Transporte!

Tenente-Brigadeiro do Ar NIVALDO LUIZ ROSSATO
Comandante da Aeronáutica