APRENDIZADO

Alunos e professores do ensino médio participam de Jornada Espacial no DCTA

Um dos objetivos é promover a interação dos alunos com os pesquisadores da área
Publicado: 19/11/2014 16:27
Imprimir
Fonte: DCTA

  Rogério Castro/ AEB“O mais interessante deste evento é que os alunos descobrem um Brasil que eles não conheciam”, afirma o pesquisador do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), José Bezerra Pessoa Filho, sobre a XI Jornada Espacial, que, desde o último domingo (16/11), reúne 95 alunos e professores de ensino médio no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em São José dos Campos.

Os 56 estudantes, entre 16 e 19 anos, e os 39 professores, que são provenientes de 20 estados, além do Distrito Federal, tiveram as melhores notas na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), que aconteceu em quase 10 mil escolas por todo país no início deste ano. Até a próxima sexta-feira, 21, o grupo terá programação composta de palestras e atividades práticas. Os alunos já visitaram o Observatório Astronômico do IAE, e, na próxima quinta-feira, 20, vão participar de uma oficina teórica e prática sobre foguetes de garrafa pet, construídos e lançados pelos alunos no Memorial Aeroespacial Brasileiro (MAB).

Segundo o pesquisador José Bezerra, um dos organizadores do evento desde a primeira edição, em 2005, a jornada serve para mostrar aos alunos a estrutura que o país dispõe nas áreas espaciais, através de visitas ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e DCTA. O evento também tem como objetivo promover a interação com pesquisadores, além do aprendizado sobre novas ferramentas didáticas para os professores. “A jornada também desperta interesse e vocação desses jovens para seguir carreira aeroespacial. Temos um aluno do Colégio Militar de Brasília que participou da primeira e segunda Jornadas, depois fez o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e hoje trabalha com tecnologia espacial”, conta o pesquisador.

O sonho em cursar o ITA é compartilhado pelo estudante Jonathas Sousa Santana, 17 anos, que veio de Roraima para participar da jornada pela primeira vez. Ele conta que foi o professor de física que lançou o desafio para participar da OBA, e foi necessário estudo extra, visto que as disciplinas de astronomia e astronáutica não fazem parte do currículo. “O que eu imagino para o futuro é poder voltar a São José dos Campos, desta vez como aluno de engenharia aeroespacial do ITA, e sei que divido esse sonho com muitos colegas e amigos”, afirma o estudante.

Entre 7 a 12 de dezembro deste ano, haverá uma nova edição da Jornada Espacial, desta vez sediada em Natal, no Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), quando os estudantes vão poder acompanhar um lançamento real, de um Foguete de Treinamento Básico (FTB).