SOCIAL

Crianças e jovens do Programa Forças no Esporte visitam Museu de Oceanografia em Pernambuco

Cerca de 100 alunos conheceram o museu que reúne algumas das espécies encontradas apenas nas regiões Norte e Nordeste
Publicado: 19/05/2014 16:47
Imprimir
Fonte: II COMAR

Museu reúne amostras de espécies encontradas apenas nas regiões Norte e Nordeste  II COMARCom o objetivo de contribuir para a formação de cidadãos conscientes sobre seu papel na preservação da natureza, em especial dos ambientes marinhos, cerca de 100 alunos integrantes do Programa Segundo Tempo/Forças no Esporte (PROFESP) em Recife, visitaram, entre os dias 07 e 14 de maio, o Museu de Oceanografia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Durante a visita, os alunos aprenderam a importância dos oceanos para a regulagem da temperatura da terra e descobriram que foi deste ambiente que a vida se originou. Aprenderam ainda que a maior parte da população mundial vive junto ao litoral e que o mar representa uma importante via de transporte, além de ser uma fonte de extração de minerais e destino dos que buscam turismo e lazer.

A Oceanografia é uma ciência que estuda os oceanos, procurando compreender, descrever e prever os recursos que ocorrem neste ambiente. Reunindo amostras de espécies que são encontradas apenas nas regiões Norte e Nordeste, como crustáceos, corais e estrelas-do-mar que escolhem águas mais quentes como habitat, a exposição do museu da UFPE abrange a formação dos oceanos, a evolução dos seres vivos, a história da oceanografia, os recursos vivos e minerais dos oceanos, a preservação do meio ambiente marinho e uma ampla exposição sobre os seres vivos que nele habitam.

O Programa Forças no Esporte é uma vertente do Programa Segundo Tempo do Governo Federal, desenvolvido pelo Ministério da Defesa, com o apoio da Marinha, Exército e Aeronáutica, e com a parceria dos Ministérios do Esporte e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Tem por objetivo democratizar o acesso à prática e à cultura do esporte, como forma de promover o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes. É também um fator de formação da cidadania e de melhoria da qualidade de vida, em áreas de vulnerabilidade social.