SOCIAL

Centro de Equoterapia da Força Aérea completa 5 anos de atividade no interior paulista

Publicado: 23/09/2013 10:33
Imprimir
Fonte: SCS/GIA-SJ

O tratamento exige uma equipe capacitada e multidisciplinar  Soldado Lucas/GIA-SJPara celebrar os cinco anos em atividade, o Centro Básico de Equoterapia do Grupamento de Infraestrutura e Apoio de São José dos Campos (GIA-SJ) reuniu, na quinta-feira (19/09), pacientes, familiares e profissionais da área de saúde em palestra informativa sobre os serviços oferecidos pela prefeitura municipal à população com necessidades especiais, como transporte, educação, inclusão no mercado de trabalho e esporte.

Desde o início das atividades, em 2008, o Centro de Equoterapia já ofereceu o serviço a cerca de 60 pessoas, atendendo em média 20 pacientes por tratamento, que dura no mínimo 6 meses. Esta é a única unidade da Força Aérea Brasileira a adotar um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo no tratamento de crianças com distúrbios neuromusculares.
 
A atividade é realizada pelo Núcleo de Serviço Social (NUSESO) em parceria com o Batalhão de Infantaria da AeronáuticaEvento reuniu reuniu pacientes, familiares e profissionais da saúde em palestra   Soldado Lucas/GIA-SJ (BINFA-64) e as seções de fisioterapia e psicologia da Divisão de Saúde e tem por objetivo tratar casos como Síndrome de Down e West, paraplegia e lesão cerebral, autismo e hiperatividade. Os resultados são rápidos na maioria dos casos, principalmente quando relacionados à questão motora do praticante.
 
A equoterapia é reconhecida como ferramenta terapêutica pelo Conselho Federal de Medicina desde 1997, mas a propagação da técnica no Brasil é recente. O método busca o desenvolvimento biopsicossocial dos pacientes empregando o cavalo como agente promotor de ganhos físicos, psicológicos e educacionais, especialmente no tratamento de doenças neuromusculares, ortopédicas, cardiovasculares e respiratórias.
 
Para realizar a terapia com cavalos é necessário reunir uma equipe capacitada e multidisciplinar. Para isso, o centro possui um time formado por 10 profissionais, entre fisioterapeutas, psicólogos, pedagogos, equitadores e servidores sociais. Leia mais sobre o Centro de Equoterapia no jornal Notaer.