SEGURANÇA DE VOO

CENIPA promove curso de prevenção de acidentes aeronáuticos

Publicado: 10/09/2013 09:38
Imprimir
Fonte: CENIPA

Brigadeiro Lourenço abre o curso  CENIPAComeçou nesta segunda-feira (9) o curso de “Prevenção de Acidentes Aeronáuticos” promovido pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), em Brasília. O objetivo é habilitar novos investigadores para atuar na área de segurança de voo das organizações e instituições da aviação civil e militar.

A abertura do curso foi realizada pelo chefe do CENIPA, Brigadeiro do Ar Luís Roberto do Carmo Lourenço, que conclamou a todos os participantes para a necessidade de fazer prevenção no país com responsabilidade e dedicação. “É preciso um trabalho sério para reverter o quadro de acidentes aeronáuticos e tornar a aviação brasileira mais segura,” declarou.

Brigadeiro Lourenço citou o risco baloeiro, que tem sido acolhido por leis municipais, como um dos desafios na mudança de cultura com foco na prevenção. Ele explicou que soltar balões de fogo, ecológicos ou qualquer outro tipo de artefato implica em risco para aviação e deve ser combatido por constituir grave ameaça à navegação aérea. Lembrou ainda que este tipo de crime é previsto no artigo 261 do Código Penal Brasileiro e que a sociedade é a principal interessada nessa proteção.

Risco aviário e fauna, vistoria de segurança de voo, gerenciamento da prevenção, segurança em pátio de manobras são algumas temas que estão na pauta dos debates do curso de prevenção de acidentes aeronáuticos. Além da parte geral, há também temas específicos como incursão em pista, certificação aeronáutica, cargas perigosas, ferramentas e programas de prevenção reações a mudanças.

O curso, que terá a duração de duas semanas, reúne militares que atuam nas organizações militares da Força Aérea Brasileira, Marinha, Exército, empresas aéreas, segurança pública e outras instituições.

O CENIPA já formou aproximadamente 13 mil profissionais para atuar na área de prevenção da aviação civil e militar. Com a implantação do curso básico de prevenção a distancia, em funcionamento desde 2012, esse número chega a 1200 profissionais por ano.