SEGURANÇA DE VOO

CENIPA recebe Judiciário e Legislativo

Publicado: 12/03/2013 16:40
Imprimir
Fonte: CENIPA

Uma comitiva de 25 representantes de diversos órgãos públicos ligados aos poderes Judiciário e Legislativo visitou o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) na última terça-feira (12/3), em Brasília. O encontro organizado pela Assessoria Parlamentar do Comandante da Aeronáutica (ASPAER) teve a intenção de divulgar o trabalho desenvolvido pelo CENIPA, além de promover uma aproximação entre os órgãos para facilitar o tratamento de temas de interesse comum.

Para o juiz da 20ª Vara Federal do DF, Alexandre Vidigal de Oliveira, o encontro dá uma percepção real da vivência e do conhecimento dos investigadores do CENIPA e o trabalho da prevenção. “Sem esse contato, fica difícil compreender o sistema de investigação”, afirmou.

“Quando se conhece como funciona o sistema, tem-se uma visão diferente do processo investigatório”, afirmou o diretor geral da Secretaria do Ministério Público Militar, Jaime de Cássio Miranda. Ele cumprimentou a iniciativa da interação com os diversos órgãos e destacou a oportunidade oferecida aos profissionais do direito e legisladores para entenderem o trabalho do CENIPA em benefício da sociedade civil.

O chefe do CENIPA, Brigadeiro do Ar Luís Roberto do Carmo Lourenço, explicou que o único propósito da investigação de acidentes ou incidentes é a prevenção de eventos futuros. “A atividade do CENIPA não visa imputar culpa ou responsabilidade”, afirmou. Ele destacou ainda que o CENIPA segue os parâmetros da Convenção de Chicago – tratado estabelecido pela Organização de Aviação Civil Internacional (OACI), do qual o Brasil é signatário.

Após palestra do chefe do CENIPA, a comitiva visitou o Laboratório de Leitura e Análise de Dados de Gravadores de Voo (LABDATA), onde conheceram o processo de obtenção das informações desde o momento em que o gravador chega ao laboratório até o fornecimento dos dados ao investigador. Em seguida, os visitantes viram o Laboratório de Destroços, em que aeronaves acidentadas são utilizadas no treinamento de investigadores.

A visita institucional da comitiva foi composta por representantes das seguintes instituições: Ministério Público Federal, Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Justiça Federal do DF, Procuradoria Geral da Justiça Militar, Advocacia Geral da União, Procuradoria Regional da União, Tribunal de Contas da União, Consultoria Jurídica Adjunta do Comando da Aeronáutica, Senado Federal, Marinha do Brasil e Exército Brasileiro.