TECNOLOGIA

Projeto do ITA é discutido na Campus Party 2013

Publicado: 18/02/2013 09:31
Imprimir
Fonte: ACS/DCTA

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), de São José dos Campos (SP), esteve em pauta na Campus Party 2013. Realizada em São Paulo, a feira é considerada um dos grandes eventos na área de inovação, ciência, criatividade e entretenimento digital do mundo. O coordenador da área de Sistemas de Aeronaves Não Tripuladas (VANTs) e Professor do ITA, Geraldo Adabo, apresentou o projeto desenvolvido em parceria com a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (CHESF) para desenvolvimento de um Sistema VANT para inspeção de linhas de transmissão de energia. “Foi uma iniciativa muito feliz da Campus Party porque os jovens participantes tiveram a oportunidade de ter contato com uma tecnologia que contextualiza a computação dentro de um cenário de aplicação muito concreto e interdisciplinar, além de sua relevância para progresso tecnológico do Brasil”, relata Adabo.
Atualmente, a inspeção aérea das linhas de transmissão é feita por helicópteros tripulados, mas a tecnologia de robótica aérea dos VANTs poderá reduzir os custos dessa operação. “O objetivo do projeto é auxiliar o processo de manutenção das linhas através de inspeções programadas, com baixo custo quando comparada à solução baseada em helicópteros tripulados. Além disso, os riscos envolvidos na operação serão menores por se tratar de veículos leves”, explica Adabo.
No projeto, cabe ao ITA desenvolver uma aeronave de asa fixa para inspeção de trechos de linha de transmissão de até 350 quilômetros, tecnologia que envolve aplicações com elevado grau de dificuldade técnica. A aeronave deve voar em baixa altitude e próxima à linha de transmissão para, desse modo, obter imagens com resolução adequadas ao trabalho de inspeção. “Em decorrência desse requisito, o VANT deve ser capaz de operar em um plano de voo que leve em consideração o relevo do terreno”, explica.
Além de realizar a inspeção das linhas de transmissão, a CHESF poderá aplicar a tecnologia que está sendo desenvolvida pelo ITA em outras áreas, como as usinas de geração de energia e os parques eólicos e fotovoltaicos. “Além disso, estão se iniciando no Brasil as ações para modernização de todo o Sistema Elétrico, no qual os sistemas aéreos não tripulados podem atuar na captura de dados de telemetria de sensores implantados em todo o sistema”, diz Abado, complementando que o principal ganho nessa primeira etapa do projeto é a aquisição do know-how por parte das instituições parceiras.