ÁGATA 4

Governo pode incentivar hospitais flutuantes como o HCAMP, afirma vice-presidente

Publicado: 15/05/2012 18:05
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

 

“Verifiquei aquela embarcação que a Aeronáutica colocou fazendo exclusivamente um hospital e eu acho, já conversei com o ministro [Defesa] Celso Amorim, que nós deveremos, quem sabe, incentivar novos hospitais dessa natureza, porque levam saúde para essas populações ribeirinhas. Enquanto não tivermos médicos, dentistas em todas as fronteiras do país, uma das soluções é esta, que tem uma eficiência extraordinária”. A declaração foi dada nesta segunda-feira (14/05) pelo Vice-Presidente da República, Michel Temer, na apresentação do balanço da Operação Ágata 4 em Roraima. No evento, realizado no auditório da Base Aérea de Boa Vista (BABV), os comandantes de cada Força Componente da Ágata 4 expuseram ao vice-presidente as ações desenvolvidas na operação.

O hospital fluvial da Aeronáutica que chamou a atenção do Vice-Presidente Michel Temer pelo ineditismo é o HCAMP, que já atuou nas enchentes em Santa Catarina em 2008 e no Terremoto do Haiti em 2010. Pela primeira vez instalado em uma balsa da Comissão de Aeroportos da Amazônia (COMARA), atendeu as populações ribeirinhas do distrito de Moura e da cidade de Barcelos perfazendo mais de 3 mil atendimentos em sete dias de atuação. A missão terminou na última sexta-feira (11/05). Veja Vídeo do Hospital de Campanha.

O vice-presidente também avaliou como positiva a evolução das Operações Ágata desde a sua primeira edição, realizada no ano passado, pelo Ministério da Defesa, e que reúne as Forças Armadas e diversas instituições governamentais. “Eu acompanhei todas as operações e acabei de registrar que elas têm dado um resultado fantástico não apenas no tocante à segurança pública, mas também na questão da segurança social. As ações cívico sociais têm levado médicos, dentistas e assistentes sociais para populações ribeirinhas destas regiões das fronteiras. A Ágata, e a Sentinela, do Ministério da Justiça, representam a chegada do Estado a essas populações”, afirmou Michel Temer.