Formação

Saiba como é a formação do piloto da Força Aérea Brasileira


Para se tornar piloto militar, uma das opções é ingressar na Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR), localizada em Barbacena (MG). É na instituição de ensino médio da Força Aérea Brasileira (FAB) que os jovens têm seus primeiros contatos com a vida militar.

A preparação compreende a formação intelectual, correspondente ao ensino médio, a formação militar, que visa integrar o aluno às atividades do Oficial Aviador e incentivar o culto a valores e virtudes militares, além da formação moral e cívica, baseada nos elevados conceitos de honestidade, lealdade e amor à Pátria, assim como na convicção do cumprimento do dever.

Ao final do terceiro ano, se for aprovado dentro do número de vagas, o aluno pode ingressar diretamente na Academia da Força Aérea (AFA), localizada em Pirassununga (SP). Por outro lado, aqueles que já possuem o ensino médio completo, podem fazer o processo de seleção diretamente para a AFA.

O piloto militar inicia a instrução aérea primária na aeronave T-25 Universal. A partir do primeiro ano do curso, os Cadetes Aviadores têm o contato inicial com o voo e com a rotina de preparação e estudo necessários para as missões aéreas. Depois de cumprirem uma sequência de etapas, os novos pilotos realizam o “voo solo”, quando pilotam, pela primeira vez, sem os instrutores. No quarto e último ano, o Cadete Aviador enfrenta os desafios do voo na aeronave de instrução básica T-27 Tucano. Nessa etapa, são realizadas missões como voo em formatura com 2 e 4 aeronaves, navegação, manobras e acrobacias e voo noturno.

Ao se formar, o Cadete Aviador recebe os títulos de Bacharel em Ciências Aeronáuticas, com habilitação em Aviação Militar, e de Bacharel em Administração, com ênfase em Administração Pública.

EXPERIÊNCIAS DE VOO





O FUTURO É AGORA







 

Álbum de fotos


Exposição Dia do Aviador 2019


Aviador - Piloto

Vídeos














Hino dos Aviadores


Composição: Capitão Armando Serra de Menezes







Hino



Vamos filhos altivos dos ares
Nosso voo ousado alçar,
Sobre campos, cidades e mares,
Vamos nuvens e céus enfrentar.
D´astro rei desafiamos nos cimos,
Bandeirantes audazes do azul.
Às estrelas, de noite, subimos,
Para orar ao Cruzeiro do Sul.

ESTRIBILHO
Contato! Companheiros!
Ao vento, sobranceiros,
Lancemos o roncar
Da hélice a girar.


Mas se explode o corisco no espaço
Ou a metralha, na guerra, rugir,
Cavaleiros do século do aço,
Não nos faz o perigo fugir.
Não importa a tocaia da morte,
Pois que a Pátria, dos céus no altar,
Sempre erguemos de ânimo forte,
O holocausto da vida, a voar.

ESTRIBILHO
Contato! Companheiros!
Ao vento, sobranceiros,
Lancemos o roncar
Da hélice a girar.

TEXTO: Agência Força Aérea   |  WEBDESIGN: Seção Web - CECOMSAER