carregando...

Homenagem


A Força Aérea Brasileira (FAB) homenageia todos que fazem parte dos Esquadrões de Asas Rotativas.


Formação


Piloto de Asas Rotativas

D epois de quatro anos na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga (SP), é que começa a formação do piloto de helicóptero. Quando concluem o Curso de Formação de Oficiais Aviadores (CFOAv), os Cadetes recebem a patente de Aspirante a Oficial e já são designados para o curso de especialização na Aviação em que irão atuar. A escolha é feita de acordo com diversos parâmetros, como aptidões pessoais e média de notas de cada Cadete.

Na AFA, o aluno conclui o Curso Básico de Aviação Militar, voando o T-25 e o T-27. Depois, é necessário se aprofundar mais para cumprir as missões que envolvem as Asas Rotativas, como busca e resgate ou SAR (do inglês, Search And Rescue), evacuação aeromédica (EVAM), ataque, patrulha e defesa de fronteiras, apoio logístico, interceptação e transporte especial.

A formação especializada em Asas Rotativas ocorre na Ala 10, localizada em Parnamirim (RN), região metropolitana de Natal, onde estão sediados três esquadrões de instrução: Rumba (1º/5º GAV), Joker (2º/5º GAV) e Gavião (1º/11º GAV); além de dois esquadrões operacionais: Pastor (2º ETA) e Falcão (1º/8º GAV). Lá em Natal, os Aspirantes realizam o Curso de Especialização Operacional em Asas Rotativas (CEO-AR). Eles passam, em média, um ano em instruções teóricas e práticas adquirindo todo o conhecimento necessário para voar o H-50 Esquilo, bem como toda a doutrina inerente à Aviação que escolheram. Durante o curso, os pilotos fazem a adaptação diurna e noturna na aeronave, aprendem a operar em área restrita, voar por instrumentos, fazer resgate e transportar carga externa. Também realizam técnicas de rapel, além de emprego armado e formatura tática para missão de ataque ou de resgate em combate.

A última etapa é a realização do Exercício Gavião de Fogo em que os futuros pilotos de helicópteros aprendem técnicas de emprego de armamento. São lançados foguetes e tiros terrestres com metralhadora calibre .50 (Confira o vídeo na seção 'Treinamentos').

Dentre várias outras especificidades, uma característica das Asas Rotativas se sobressai: a flexibilidade e a versatilidade na hora do pouso. Um helicóptero é capaz de chegar em locais de difícil acesso, como em uma mata ou numa clareira, por exemplo. Principalmente, se a região não oferecer pistas. Eles precisam de pouco espaço para pousar e decolar.

Após a conclusão do CEO-AR, os militares são enviados para um dos esquadrões que operam Asas Rotativas no País.

Confira o FAB em Ação que mostra como é a formação, as missões e os treinamentos dos pilotos de Asas Rotativas.

Esquadrões


Atualmente, há oito Esquadrões de Asas Rotativas na FAB em todo o Brasil:

  1°/8° GAV – Esquadrão Falcão
  2°/8° GAV – Esquadrão Poti
  7º/8º GAV – Esquadrão Harpia
  1°/11° – Esquadrão Gavião
  3°/8° GAV – Esquadrão Puma
  5°/8° GAV – Esquadrão Pantera
  2°/10° GAV – Esquadrão Pelicano
  3° Esquadrão do GTE

Veja, na ilustração, quais são os esquadrões e as aeronaves que eles operam:

Aeronaves


Saiba quais são as missões exercidas pelos helicópteros:

Aeronave usada na formação dos pilotos:


H-50 Esquilo



Aeronaves multimissões empregadas em missões de busca e salvamento, busca e salvamento em combate,
evacuação aeromédica, transporte aéreo logístico e defesa aérea:


H-60 Black Hawk




H-36 Caracal



Helicópteros utilizados em transporte especial:


VH-35




VH-36



Aeronaves de ataque:


AH-2 Sabre



Treinamentos


Confira alguns dos exercícios, missões e treinamentos realizados pelos esquadrões de Asas Rotativas:

GAVIÃO DE FOGO – Veja, no vídeo abaixo, como é realizado o exercício que finaliza o Curso de Especialização Operacional em Asas Rotativas.




ZARABATANA – No treinamento realizado em 2015, a aeronave AH-2 Sabre realizou pela primeira vez o emprego de míssil, utilizando as técnicas de pairado durante o dia e a noite.




CRUZEX 2013 – Confira o treinamento de diversos esquadrões de helicóptero no Exercício Cruzex, que mostra a infiltração em território inimigo para avaliar de perto o alvo e enviar coordenadas aos helicópteros de ataque AH-2 Sabre.




CELEBRAÇÃO – Para homenagear o helicóptero H-60L Black Hawk, que completou 30 mil horas de voo na Força Aérea Brasileira em 2017, foi produzido um videoclipe das principais missões executadas pela aeronave. Confira!







História


Veja, na Linha do Tempo, os momentos mais marcantes da história da Aviação de Asas Rotativas na FAB:

Fotos

Confira imagens de diversas missões da Aviação de Asas Rotativas na FAB:


Powered by Flickr Embed.
CECOMSAER - Centro de Comunicação Social da Aeronáutica

Melhor visualização: 1360 x 768 pixels, Desktop.